Cuiabá (MT), 22 de maio de 2022 - 00:27

? ºC Cuiabá - MT

GOVERNO

13/12/2017 16:43

Em sessão plenária, Barranco critica políticas econômicas de Temer e Taques

Sem a Ordem do Dia para deliberar as matérias em pauta para a sessão ordinária da manhã desta quarta-feira (13), por falta de quórum em plenário, o deputado Valdir Barranco (PT) aproveitou para fazer críticas às políticas econômicas praticadas tanto pelo governo Michel Temer (PMDB) quanto pelo governador Pedro Taques (PSDB).

De acordo com o petista, os aumentos recorrentes do botijão de gás e dos combustíveis, em 2017, têm comprometido a renda do trabalhador brasileiro. Aqui, em Mato Grosso, segundo Barranco, o preço do gás de cozinha já subiu mais de 20%.

“Em muitas regiões do estado, o botijão de gás chega a mais de R$ 140. Há notícias que muitas famílias estão voltando a construir fogão de lenha para que não possam morrer de fome. A gasolina já subiu nos últimos dias 12,75%. O país vive um caos. Esses aumentos demonstram que o governo federal vem fazendo uma administração para uma minoria”, disse.

Barranco afirmou que, em Mato Grosso, o governador Pedro Taques segue a mesma cartilha do governo federal. “Ontem, o deputado Allan Kardec fez um questionamento que Mato Grosso não para de crescer e tem uma economia comparada à da China, quando o Estado cresce 11% ao ano. Em 2017, já superou em mais de dois bilhões de reais o que está previsto no orçamento”, explicou Barranco.

Na ponderação do discurso feito por Barranco, o deputado Pedro Satélite (PSD), naquele momento presidindo a sessão, disse que em relação à situação de Brasília, Barranco está correto, porque deixaram o país em situação caótica financeiramente. Mas em relação à administração Pedro Taques, Satélite foi categórico ao dizer que “a aprovação pela Assembleia Legislativa do PEC do Teto dos Gastos vai recolocar a economia mato-grossense de volta aos trilhos do desenvolvimento".

“Embora haja crescimento na arrecadação, os custeios da máquina pública e o pagamento do funcionalismo crescem o dobro. O Estado vai conseguir estagnar essa distorção com a Lei de Emenda Constitucional dos gastos públicos, que passa a vigorar em 2018, por cinco anos”, disse.

Na contramão do discurso feito por Barranco, o deputado Dr. Leonardo (PSD) afirmou que o caos instalado no Brasil e em Mato Grosso é fruto da administração dos governos petistas. O parlamentar questionou o petista em relação à quebra financeira da Petrobras. Para Dr. Leonardo, jogar a culpa na atual gestão é fácil, mas a oposição não aponta os erros cometidos nos governo Lula e Dilma Rousseff.

“A oposição acha que temos amnésia e o povo é bobo. O que acontece hoje é o reflexo do passado. Apontar e jogar críticas agora não cabe. O povo lembra disso. A crise política não começou agora. Mas falar que a gasolina e o gás de cozinha estão caros, agora é fácil. O discurso é vazio. Não é assim que discute política”, afirmou Dr. Leonardo.


Fale Conosco

Fone (65) 3023-2102

Patricia Bueno Mussi
[email protected]

 

 

Assessoria Jurídica.

Marcos Davi Andrade

Copyright 2015 - Todos os direitos reservados.
Max Notícias.

Crie seu novo site Go7
vers�o Normal Vers�o Normal Painel Administrativo Painel Administrativo