Cuiabá (MT), 25 de fevereiro de 2020 - 10:48

? ºC Cuiabá - MT

eleiçoes agora

25/09/2016 12:46

Wilson propõe ligar sete bairros e “aproximar” Pedra 90 do Parque Atalaia com duas avenidas

O candidato a prefeito de Cuiabá Wilson Santos (PSDB) detalhou como devem ser as duas novas avenidas que projeta para construir na capital caso vença a eleição. Ele já havia antecipado a promessa, mas sem dizer quais regiões da cidade pretendia ligar.A primeira avenida que Wilson promete é um projeto idealizado em 2006 Instituto de Planejamento e Desenvolvimento Urbano. A Avenida Parque Gumitá deverá ter 6,5 quilômetros e ligará sete bairros das regiões norte e leste da cidade, margeando o Córrego do Gumitá.

A segunda avenida deve ter 10 quilômetros e visa ligar o bairro Pedra 90 ao conjunto Santa Terezinha, localizado nas proximidades do Parque Atalaia. A Câmara de Cuiabá já concedeu a autorização para construção da Avenida Circular Sul-10, que deve se iniciar na Rodovia Palmiro Paes de Barros e seguirá até a Avenida das Torres.

“Cuiabá cresce a cada ano e a mobilidade urbana precisa acompanhar esse crescimento. Estas duas avenidas ajudarão a desafogar o grande fluxo de veículos das regiões mais populosas da capital”, concluiu Wilson Santos.

Projeto antigo

Idealizada em 2006, a Avenida Parque Gumitá já teve os trabalhos de desapropriação foram concluídos no primeiro mandato do tucano como prefeito de Cuiabá e 183 famílias que viviam às margens do Córrego do Gumitá foram reassentadas no Residencial Jonas Pinheiro.

Ex-presidente do IPDU e mulher de Wilson, a arquiteta Adriana Bussiki explicou que a “via verde” será construída 30 metros afastada das margens do córrego, garantindo espaço para ciclovias, área de lazer, calçadas arborizadas e iluminação. Além das desapropriações, necessárias para o reflorestamento das margens, os trabalhos de canalização da rede de drenagem também tiveram início no mandato de Wilson.

A Avenida Parque Gumitá passará pelos bairros Tancredo Neves, Planalto, Novo Horizonte, Centro América, Novo Mato Grosso, Três Lagoas e Vila Rosa. Quando projetada, tinha um custo de 20 milhões de dólares.

“Não tínhamos apoio nenhum dos governos federal e estadual. Então buscamos o Fundo Financeiro para o Desenvolvimento da Bacia do Prata (Fonplata), passamos nas primeiras quatro etapas, mas precisávamos da aprovação de todos os países participantes e apenas um foi contra. Ficamos sem os recursos e não conseguimos dar seguimento às obras”, contou Adriana, lembrando que os tempos agora são outros e Wilson conta com o apoio do Governo Pedro Taques para realizar os projetos.


Fale Conosco

Fone (65) 3023-2102
redacao@maxnoticias.com.br

 

Assessoria Jurídica.

Marcos Davi Andrade

Copyright 2015 - Todos os direitos reservados.
Max Notícias.

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo