Cuiabá (MT), 27 de setembro de 2020 - 05:34

? ºC Cuiabá - MT

CIDADES MT

14/02/2020 08:32

Especialista: empresário errou ao não prever risco e reagir atirando

O instrutor de defesa pessoal e tiro da FH Treinamentos Especiais, Sávio Pellegrini, avaliou que o empresário Valdir Aparecido Farinha, 60 anos, morto por um bandido na quarta-feira em Rondonópolis, deveria ter ficado atento ao estar na rua e corrido assim que o bandido se aproximou.

Valdir, que também era presidente do Conselho de Segurança de Rondonópolis, foi assassinado na frente de casa quando conversava com a eposa e um casal de amigos.

De acordo com Pellegrini, que estudou o vídeo do crime, o primeiro passo para preservar a vida é a prevenção. Nesta etapa, a pessoa deve estar atenta ao ambiente para poder identificar e antecipar situações de risco.

“Pelo vídeo, podemos dizer que eles estavam no meio da rua, era de noite, não muito tarde, fora de uma residência, com portão aberto. Estavam conversando, ninguém ali estava atento ao ambiente a sua volta”, analisou o especialista.

Em seguida, mesmo tendo falhado na primeira parte, é necessário reagir de forma consciente, segundo o instrutor.

“Sobrou a parte que a gente chama de reação, mas ele reagiu erroneamente. A reação era se afastar da ameaça. O infrator estava com arma na mão, a vítima nunca ia ser mais rápida do que uma pessoa com arma na mão sacando ainda para atirar e foi o que aconteceu”.

A reação, no caso deles, não teria que ficar ali parado, teria que correr. Afastar-se do perigo

Neste caso, Pellegrini recomenda que as vítimas devam correr ou atender ao pedido do assaltante e entregar os bens.

“A reação, no caso deles, não teria que ficar ali parado, teria que correr. Afastar-se do perigo, mas para isso tinha que ter visto o perigo”.

“É um roubo, a pessoa pediu: ‘Dá o carro!’, ele tinha que ter dado a chave do carro. Isso é uma reação inteligente. Não necessariamente a reação tem que ser armada”, completou.

Conforme o instrutor, o objetivo básico da defesa pessoal é a pessoa manter a vida e evitar confrontos que não se pode ganhar.

“A ideia é ficar vivo, a ideia não é confrontar, não é dar tiro em ninguém. Esse é o ponto principal”.

Ainda segundo a análise por meio do vídeo, o especialista acredita que o empresário não tinha noções básicas de defesa, caso contrário não teria colocado sua vida em risco.

“Ele achou que a única solução do problema dele era reagir armado e deu errado. A reação armada tem que ser muito treinada, não daquela forma. Ele pode até saber manusear a arma, mas talvez não tivesse condições de confrontar”, apontou Pellegrini.

O caso

As cenas do tiroteio foram captadas por uma câmara de segurança. Farinha trocou tiros com o criminoso e acabou sendo atingido durante o confronto.

Ele estava na calçada conversando, na companhia de amigos, quando um bandido armado se aproximou do grupo, caminhando, e apontando uma arma em direção a eles.

Uma das testemunhas relatou que o criminoso anunciou o assalto e que iria levar o carro. Neste momento, o empresário reagiu atirando.

Pelas imagens é possível ver que Valdir chega a cair no chão durante o confronto  e o ladrão, de longe, continua tentando atingi-lo.

Uma equipe do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) chegou a ser acionada, mas o presidente da Conseg já estava sem vida.

Fonte:https://www.midianews.com.br/


Fale Conosco

Fone (65) 3023-2102

Patricia Bueno Mussi
redacao@maxnoticias.com.br

 

 

Assessoria Jurídica.

Marcos Davi Andrade

Copyright 2015 - Todos os direitos reservados.
Max Notícias.

Crie seu novo site Go7
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo